Náuseas




Náusea, do amor
de ser, de amar
de não ter o que fazer
de não ter o que falar
Náusea, do odor
de rir e de chorar
de não ter como correr
de não ter como parar

(João Diniz)
.
.
.

2 comentários:

"O Antes, o Agora e o Depois" disse...

Produzimos nossas náuseas como um bebado produz a sua pinga...
Abrs.

C.R - Allen Walker disse...

"Estou numa maré de números 13 - sou pois seu décimo terceiro seguidor."

Olá meu caro, ocasionalmente, tropecei no seu blog - e cá encontrei otimas poesias, um ambiente super agradável, com este traço simplório e verde ao qual sinto-me convidado e ao mesmo tempo impaciente... Gostei de suas linhas, cheias de 'enjambements' - sinestesias - sempre com aquele olhar melancólico, observador, alheio e ao mesmo tempo o crucificado. De olhar distraido sobre os pormenores do casual - achei em suas palavras belas inspirações e divagações... Assim sao novos olhares, novas filosofias e maneiras de viver e sentir.
Abraços - Allen Walker - blog (digitirangel.blogspot.com)__Abraços.