Terceira idade de um poema


Tateando a pele velha
de um poema antigo,
sinais de velhice.
Burrice, pensar que ser velho
difere de belo.
Rugas nas palavras.
Nos versos, cabelos brancos.
(João Diniz)
.
.
.

2 comentários:

ellen disse...

Função Poética: O MODO COMO SE DIZ é tão importante quanto AQUILO QUE SE DIZ.

João Diniz disse...

Risos.